15 dic. 2009

ANOTHER LOOK AT MAJID TAVAKOLI’S AFFAIR – UNO SGUARDO AL CASO DE MAJID TAVAKOLI – UNA OJEADA AL CASO DE MAJID TAVAKOLI

 

 

Masih Alinejad

Masih-Alinejad-240x154

You surely heard about their recent petty affair. They have become so petty that they think publishing a picture of Majid Tavakoli, member of Polytechnic University Islamic Association, with women clothing means humiliating him and if they associate him with Bani Sadr and other fake stories of those who ran away with women clothing (1), they can demobilize and demoralize the movement.

I am sure you have heard about this other story too:
A Japanese man lived in Tehran in the early years of revolution and he once went to a restaurant with his wife. It was there that they asked his wife to wear a scarf and gave them a scarf for that purpose. The Japanese man asked for a scarf and then wore it himself. When restaurant waitresses explained that only women have to wear the hijab and not the men, he answered: “If my wife is to do something without wanting it, I see it as my duty to accompany her.”

I don’t care about the validity of any of these two narratives. I have no doubt that the proponents of the protest movement in Iran and harbingers of freedom know very well what has humiliated Majid Tavakoli.  It is not the women clothing, but the act of it being forced on him and publishing of the photos in an attempt to humiliate him, which is not new.

There are many Iranian women who hold no belief in the hijab or forced clothing.  For years they had to wear a headscarf and sometimes chador (a long garment that covers all of the body and sometimes large parts of the face- translator’s note).

That is why I think the story of our dear Majdi Tavakoli is a story of humiliation for a number of women in my land. We should laugh at those who out of ignorance and simple-mindedness slander their own values. At the same time we should be sad for those who actually believe in the absurd show of mandatory hijab in Iran, they too have been humiliated for years.

The cruelty of those men, who published these photos to remind us that forcing headscarf and chador on men or women is so ugly and deplorable that it should be subject to photos and news; it makes me laugh.

Another point: If we again assume that coup-stagers’ news is true and the student ran away out of fear, why should one be proud of this fear when a government publicly demonstrates the fear of its nation?

Just like the chief of coup ‘etat who proudly declared: Kahrizak doctor committed suicide out of the fear of being arrested (2). What happens in the prison and detention that fear of it leads to suicide? I am amazed that this is not enough reason of shame for a sick system not to loudly declare its own scandal so simplemindedly and not to publish its photos and news.

This is like saying: Oh, Everybody! Come and see how beautiful the Islamic Republic is. This is where students and doctors are afraid from the law and prefer to die and run away but not to deal with ferocious and murderous interrogators of detention centers.

So, instead of being demoralized by Majid’s story, we should be proud of him for he has led coup stagers into two traps to loudly reveal their scandal.

One: Forcing scarf and chador is ugly and ridiculous.
Two: Law and the ruling atmosphere are so fearful that a student has to run away with women clothing (assuming the news is true).

11442_375034495603_789980603_10463111_4860377_n

Now, let us imagine that part of the male protesters decide to do what the Japanese man did to defend those women who are forced to wear hijab. What would the government news agencies do when faced with a population that laughs at them and men who wear scarf and chador in a symbolic move? I know that because of the fundamental patriarchic thinking, such an initiative is not expectable from Iranian men but would the news agents of coup government proudly publish photos that ridicules Islamic clothing? Their job, their laugh.

1) Abolhassan Bani Sadr was the first president of the Islamic Republic. He was outside mullah’s circles and was thus impeached by the Islamic parliament. He then, regime claimed, ran away from Iran while wearing women clothing – Translator’s note.

2) Kahrizak is a detention centre where a lot of protesters in the wake of anti-government demonstrations in June and July 2009 were reportedly tortured and raped. It was consequently closed down by the order of Khamenei himself – Translator’s note.

Translated to English by Reza Eshteraki

**************************************************************

 

Masih Alinejad 
Masih-Alinejad-240x154
Você seguramente ouviu falar do recente afazeres insignificante deles/delas. Eles ficaram tão insignificantes que eles pensam publicação um quadro de Majid Tavakoli, sócio de Associação islâmica Universitária Politécnica, com mulheres que vestem meios que o humilham e se eles o associam com Bani Sadr e outras falsas histórias desses que correram fora com mulheres que vestem (1), eles podem desmobilizar e podem desmoralizar o movimento. 
Eu estou seguro você também ouviu falar desta outra história: 
Um homem japonês morou em Tehran nos anos cedo de revolução e ele foi uma vez para um restaurante com a esposa dele. Estava lá que eles pediram para a esposa dele que usasse um lenço e lhes deram um lenço para aquele propósito. O homem japonês pediu um lenço e então usou isto ele. Quando as garçonetes de restaurante explicaram isso que só mulheres têm que usar o hijab e não os homens, ele respondeu: “Se minha esposa for fazer algo sem querer isto, eu vejo isto como meu dever para a acompanhar.” 
Eu não me preocupo com a validez de quaisquer destas duas narrativas. Eu não tenho nenhuma dúvida que os proponentes do movimento de protesto no Irã e precursores de liberdade sabem muito bem o que humilhou Majid Tavakoli.  Não é o mulheres vestindo, mas o ato disto estando forçado nele e publicando das fotografias em uma tentativa para o que não é novo humilhar. 
Há muitas mulheres Iranianas que não seguram nenhuma convicção no hijab ou roupa forçada.  Durante anos eles tiveram que usar um lenço de cabeça e às vezes chador (um artigo de vestuário longo que cobre tudo do corpo e às vezes partes grandes da face - a nota de tradutor). 
Isso é por que eu penso que a história de nosso querido Majdi Tavakoli é uma história de humilhação para várias mulheres em minha terra. Nós deveríamos rir desses que fora de ignorância e simples-mindedness difamação os próprios valores deles/delas. Ao mesmo tempo nós deveríamos estar tristes para esses que de fato acreditam no espetáculo absurdo de hijab obrigatório no Irã, eles também foram humilhados durante anos. 
A crueldade desses homens que publicaram estas fotografias para nos lembrar que forçando lenço de cabeça e chador em homens ou as mulheres são tão feias e deploráveis que deveria estar sujeito a fotografias e notícias; me faz rir. 
Outro ponto: Se nós assumimos novamente que golpe súbito*-stagers notícias de ' são verdades e o estudante faltou medo fora, por que um deveria estar orgulhoso deste medo quando um governo demonstra o medo de sua nação publicamente? 
Há pouco igual o chefe de golpe súbito etat de ‘que orgulhosamente declarou: Kahrizak medicam suicídio cometido fora do medo de estar preso (2). o que acontece na prisão e detenção que medo disto conduz a suicídio? Eu estou pasmo que esta não é bastante razão de vergonha para um sistema doente não declarar seu próprio escândalo ruidosamente assim simplemindedly e não publicar suas fotografias e notícias. 
Isto está como declaração: Oh, Todo o mundo! Venha e veja como bonito a República islâmica é. Isto é onde os estudantes e doutores têm medo da lei e preferem morrer e correr fora mas não lidar com interrogators feroz e assassino de centros de detenção. 
Assim, em vez de estar desmoralizado pela história de Majid, nós deveríamos estar orgulhosos dele porque ele levou stagers de golpe súbito em duas armadilhas a revelar o escândalo deles/delas ruidosamente. 
Um: Lenço forçando e chador é feio e ridículo. 
Dois: Lei e a atmosfera governante são tão medrosas que um estudante tem que correr fora com mulheres que vestem (assumindo as notícias é verdadeiro). 
11442_375034495603_789980603_10463111_4860377_n
Agora, nos deixe imaginar aquela parte do protesters masculino decida fazer o que o homem japonês fez para defender essas mulheres que são forçadas a usar hijab. O que fariam as agências de notícias de governo quando enfrentou com uma população que ri deles e homens que usam lenço e chador em um movimento simbólico? Eu sei que por causa do patriarchic pensar fundamental, tal uma iniciativa expectable não é de homens Iranianos mas os agentes de notícias de governo de golpe súbito publicariam fotografias orgulhosamente que ridículos roupa islâmica? O trabalho deles/delas, o riso deles/delas. 
1) Abolhassan Bani Sadr foi o primeiro presidente da República islâmica. Ele estava fora dos círculos de mullah e foi impugnado assim pelo parlamento islâmico. Ele então, regime reivindicou, correu longe do Irã enquanto mulheres cansativas que vestem–a nota de Tradutor. 
2) Kahrizak é um centro de detenção onde foram torturados muito protesters após demonstrações antigovernamentais em junho e 2009 de julho segundo notícias e foram estuprados. Estava abaixo conseqüentemente fechado pela ordem do próprio Khamenei–a nota de Tradutor. 
Traduzida a inglês por Reza Eshteraki

*********************************************

Masih Alinejad 
Masih-Alinejad-240x154 
Sicuramente hai sentito parlare di questo. Loro sono divenuti così piccoli che pensano che pubblicando un ritratto di Majid Tavakoli, membro dell'Università Politecnica l'Associazione islamica, vestendo come una donna intendono umiliarlo e se loro l'associano con Bani Sadr ed altre storie fasulle di quelli che fuggirono vestiti da donna(1), loro possono smobilitare e possono demoralizzare il movimento. 
Sono sicuro che hai sentito anche questo: 
Un uomo giapponese vissuto in Tehran di anni primi di rivoluzione andò una volta ad un ristorante con sua moglie.  là che loro chiesero a sua moglie di portare una sciarpa e li diedero una sciarpa per quel scopo. Il giapponese chiese una sciarpa e l'indosso anche lui. Quando il cameriere del ristorante spiegarono que solamente donne devono portare il hijab e non gli uomini, lui rispose: “Se mia moglie deve fare qualche cosa senza volerlo, io considero il mio dovere di accompagnarla.” 
Io non do importanza  alla validità di questi due resoconti. Non ho dubbi che i proponenti del movimento di protesta in Iran ed annunziatori della libertà sanno molto bene quello che ha umiliato Majid Tavakoli.  Non il vestire da donna, ma l'atto di essere costretto e la pubblicazione delle fotografie in un tentativo di umiliarlo che non è nuovo. 
Ci sono molte donne iraniane che non tengono credenza nel hijab o abbigliamento forzato.  Per molti anni hanno dovuto portare un fazzoleto e delle volte anche chador (un indumento lungo che copre tutto il corpo e qualche volta parti grandi della faccia - la nota del traduttore). 
É per questo che la storia del nostro caro _Majdi Tavakoli é uma storia di umiliazione per le donne nella mia terra. Dobbiamo ridere di quelli che nella loro ignoranza e simpleza de mente mostra i suo valore. allo stesso tempo dobbiamo essere triste per quelli che atualmente credono nel mandato absurdo del hijab obligatorio en Iran, loro sono stati umiliati per anni.  
La crudeltà di quegli uomini che pubblicarono queste fotografie per ricordarci che costringir uomini e donne ad usare fazzoletti e chador é qualcosa di brutto e deplorabile e  che deva essere soggetto a fotografie e notizie; mi fa ridere. 
Un altro punto: Se noi presumiamo di nuovo che colpo di stato-stagers le notizie di ' sono vere e gli studenti hanno perso la paura, perché uno dovrebbe essere orgoglioso di questa paura quando un governo dimostra pubblicamente la paura della sua nazione? 
Solo come il capo di colpo di stato etat di ‘che dichiarò orgogliosamente: Dottore di Kahrizak commesso suicidio per la paura di essere arrestato (2). quello che accade nella prigione e la detenzione che paura di lui conduce a suicidarsi? Io si stupisce che questa non è abbastanza ragione della vergogna per un sistema ammalato per non dichiarare rumorosamente scandalo suo proprio così corti di mente e non pubblicare le sue fotografie e notizie. 
Questo è come dicendo: Oh, Ognuno! Venga e veda come bella la Repubblica islamica. Qui è dove studenti e dottori hanno paura dalla legge e preferiscono morire e fuggire ma non trattare con interrogatori feroci e  di centri criminali di detenzione. 
Quindi, invece di essere demoralizzato dalla storia di Majid, noi dovremmo essere orgogliosi di lui per lui ha condotto stagers del colpo di stato in due trappole a rivelare rumorosamente il loro scandalo. 
Uno: Sciarpa che costringe e chador è brutto e ridicolo. 
Due: Legge e l'atmosfera dominante sono così terribili che un studente deve fuggire con donne che vestono (presumere le notizie è vero). 
11442_375034495603_789980603_10463111_4860377_n
Ora, ci permetta di immaginare quella parte dei contestatori maschi decida di fare quello che gli uomini giapponesi facevano difendere quelle donne che sono costrette per portare hijab. Le agenzie di notizie statali farebbero cosa quando affrontò con una popolazione che ride a loro ed uomini che portano sciarpa e chador in una mossa simbolica? So che a causa del pensare fondamentale del patriarcato , tale iniziativa si aspettarebbe non è da uomini iraniani ma gli agenti di notizie di governo di colpo di stato pubblicherebbero orgogliosamente fotografie che i ridicoli abbigliamento islamico? Il loro lavoro, la loro risata. 
1) Abolhassan Bani Sadr era il primo presidente della Repubblica islamica. Lui era fuori dei cerchi di mullah e fu accusato così dal parlamento islamico. Lui poi, regime chiese, fuggì dall'Iran mentre portò donne che vestono–la nota di Traduttore. 
2) Kahrizak è un centro di detenzione dove molti contestatori in seguito a dimostrazioni antigoverne in giugno e luglio 2009 furono torturati a quanto riferito e furono stuprati. Fu chiuso di conseguenza dall'ordine di Khamenei stesso–la nota di Traduttore. 

 

**************************************

Masih Alinejad   
Masih-Alinejad-240x154  
Usted oyó hablar ciertamente de este pequeño asunto. Ellos se han puesto tan pequeños que ellos piensan la publicación unas fotos de Majid Tavakoli, el miembro de Asociación islámica Universitaria Politécnica, vestido de mujer lo humillan y si ellos lo asocian con Bani Sadr y otras historias falsas de aquéllos que escaparon vestidos de mujer (1), ellos creen que pueden desmovilizar y desmoralizar el movimiento.   
Yo estoy seguro que usted también ha oído hablar de esta otra historia:   
Un hombre japonés vivió en Teherán en los años tempranos de revolución y él fue una vez a un restaurante con su esposa. Estaba allí que ellos le pidieron a su esposa que llevara un echarpe y les dieron un echarpe para ese propósito. El hombre japonés pidió un echarpe y entonces lo llevó él. Cuando camareras del restaurante explicaron eso que sólo mujeres tienen que llevar el hijab y no los hombres, él contestó: “Si mi esposa tiene que  hacer algo sin quererlo, yo lo veo como mi deber acompañarla.”   
Yo no me preocupo de la validez de cualquiera de estas dos narrativas. Yo no tengo ninguna duda que los defensores del movimiento de la protesta en Irán y heraldos de libertad saben muy bien lo que ha humillado Majid Tavakoli.  No es el vestir de mujer, pero el acto de forzarlo  y publicar  las fotografías en un esfuerzo por humillarlo que no es nuevo.   
Hay muchas mujeres Iraníes que no sostienen ninguna creencia en el hijab o la ropa forzada.  Durante años ellos tenían que llevar un pañuelo y a veces el chador (un vestido largo que cubre todo el cuerpo y a veces las partes grandes de la cara - la nota de traductor).   
Por eso yo pienso que la historia de nuestro estimado Majdi Tavakoli es una historia de humillación para las mujeres en mi tierra. Nosotros debemos reírnos de aquéllos que fuera de ignorancia y mente corta la calumnia sus propios valores. Al mismo tiempo nosotros debemos estar tristes para aquéllos que realmente creen en la muestra absurda de hijab obligatorio en Irán, ellos también se han humillado durante años.   
La crueldad de esos hombres que publicaron estas fotografías para recordarnos ese pañuelo impelente y chador en los hombres o las mujeres son tan feas y deplorables que debe estar sujeto a las fotografías y noticias; me hace reír.   
Otro punto: ¿Si nosotros asumimos de nuevo que golpe-stagers las noticias de ' son verdad y el estudiante corrió lejos fuera de miedo, por qué uno debe estar orgulloso de este miedo cuándo un gobierno demuestra el miedo de su nación públicamente?   
Simplemente como el jefe de golpe etat de ‘que orgullosamente declaró: ¿Doctor de Kahrizak comprometió el suicidio fuera del miedo de arrestarse (2). que pasa en la prisión y detención que el miedo lo lleva al suicidio? Yo soy asombrado que ésta no es bastante razón de vergüenza para un sistema enfermo no declarar su propio escándalo ruidosamente para que el simplemindedly y para no publicar sus fotografías y noticias.   
Esto está como el refrán: ¡Oh, Todos! Venga y vea cómo bonito la República islámica es. Aqui es donde los estudiantes y doctores tienen miedo de la ley y prefieren morirme y correr lejos pero no tratar con los interrogantes feroces y asesinos de centros de la detención.   
Así que, en lugar de estar desmoralizado por la historia de Majid, nosotros debemos estar orgullosos de él porque él ha llevado el stagers del golpe en dos trampas revelar su escándalo ruidosamente.   
Uno: El echarpe impelente y el chador es feo y ridículo.   
Dos: La ley y la atmósfera gobernante son tan temerosas que un estudiante tiene que correr lejos con mujeres que visten (asumiendo las noticias es verdadero).   
11442_375034495603_789980603_10463111_4860377_n
Ahora, permítanos imaginar esa parte de los protestadores masculinos decide hacer lo que el hombre japonés hizo para defender a esas mujeres que son obligadas a llevar el hijab. ¿Qué las agencias informativas gubernamentales harían cuándo enfrentó con una población que se ríe de ellos y hombres que llevan echarpe y chador en un movimiento simbólico? ¿Yo sé que debido al patriarchic pensar fundamental, tal una iniciativa el expectable no es de los hombres Iraníes pero los corresponsales de gobierno del golpe publicarían las fotografías orgullosamente que los ridículos la ropa islámica? Su trabajo, su risa.   
1) Abolhassan Bani Sadr fue el primer presidente de la República islámica. Él estaba fuera de los círculos de mullah y se acusó así por el parlamento islámico. Él entonces, el régimen exigió, corrió fuera de Irán mientras mujeres desgastado que visten–la nota de Traductor.   
2) Kahrizak es un centro de la detención dónde se torturaron muchos protestadores siguiendo a las demostraciones antigubernamentales en junio y el 2009 de julio según informes recibidos y se violaron. Estaba abajo consecuentemente cerrado por el orden del propio Khamenei–la nota de Traductor.   
Traducido a inglés por Reza Eshteraki

No hay comentarios:

Publicar un comentario